quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A triste felicidade

Como qualquer ser humano que se preze, tenho sonhos, planos e um futuro, que dia após dia quero construir e melhorar.
A vida é como uma planta, como uma árvore que ao fim de algum tempo de cuidado, dá flores, e após muita dedicação, amor e carinho, dá frutos.
A vida, é como uma viagem de carrossel, cheia de surpresas pelo caminho, voltas e mais voltas, e no final vimos sempre parar ao mesmo sitio.
A vida não é mais que um livro aberto, um livro cheio de letras, páginas e capítulos.
Mas, e se cada capítulo correspondesse a um sonho? E se cada página correspondesse a uma pedaço da vida que quero para mim?
Mas então o que faço? Puxo uma cadeira e espero que os sonhos venham ter comigo? Ou...melhor ainda, ponho-me à janela, vejo o sol a pôr-se, a lua a tomar o seu lugar, a noite a acontecer, e daí? Não continuo a ser a mesma pessoa? com os mesmos sonhos e a mesma ânsia de mudança? O será melhor terminar com este descontentamento que me atormenta enquanto ser humano e fazer algo mais por mim? Algo ao qual eu me possa orgulhar e dizer: - Sim! Eu lutei, eu não sou mais um fracasso, eu fui atrás dos meus sonhos, não me tornei um ser humano vulgar que mostra o descontentamento e não faz nada mais que se conformar com o que tem, ou melhor, com o que não tem!
Não! Eu quero o meu lugar ao sol, quero a minha felicidade, quero! Vou trabalhar e correr atrás dela, porque eu simplesmente quero!
Pois bem, seja o que for que o futuro me reserve, é importante não cruzar os braços, mas sim ir à luta, e não desanimar, porque quando a planta completar o ciclo de vida, quando o carrossel terminar, ou mesmo quando chegar à última página do livro...basta mudar. Basta mudar!

Vanessa Vaz